Histórico

 

Fundado em 29 de março de 1944, por um grupo de oficiais, o Clube Farrapos dos Oficiais da Brigada Militar surgiu com o objetivo de proporcionar lazer, esporte e cultura aos oficiais e seus familiares.


Durante suas existência já passou por três sedes: a primeira no Cristal, à Rua Cel Claudino; a segunda na Rua José do Patrocínio, 534 e atualmente encontra-se situado à Av. Cristiano Fischer, 1331, no Jardim do Salso. Uma área privilegiada pela vasta arborização que cerca as dependências do Clube.


De acordo com a ata de n° 1, ”aos dezoito dias do mês de maio do ano de mil novecentos e quarenta e quatro, reuniu-se a diretoria  efetiva do Clube Farrapos, em uma das salas do DGT, afim de receber os poderes e o arquivo da diretoria provisória. Assumindo a presidência o Ten Cel Justino Marques de Oliveira, passou os poderes para o Major Elehú Mário Gomes da Silva. Nessa ocasião fez um rápido histórico de suas atividades, ressaltando que o principal estava feito, isto é, que o Clube Farrapos estava fundado, competindo a nova diretoria a árdua tarefa de conduzi-lo rumo a seus elevados objetivos. Tomando a palavra, o Presidente fez uma exposição sobre as finalidades desta sociedade, dizendo que a criação do Clube Farrapos veio preencher uma lacuna existente no seio da nossa corporação. Esse Clube seria mais um motivo para congregar a oficialidade da nossa Força, mantendo-a una, como una e coesa foi a geração que nos precedeu, face aos dias   mais difíceis que passou a Brigada militar. Acentuou que seria interessante que os objetivos do Farrapos fossem sociais, culturais e beneficentes. A respeito da parte desportiva fazia restrições quanto ao futebol, achando, entretanto, que o clube poderia participar de todos os outros ramos dos desportes, quer terrestres, quer aquáticos. Tendo surgido alguma discordância em relação ao futebol, pois alguns dos presentes entendiam que a Brigada Militar deveria concorrer ao desporte  então, o Major Walter Perachi de Barcellos, 1°vice-presidente, pediu a palavra e  manifestou seu ponto de vista, dizendo que o Clube Farrapos sendo uma sociedade civil, seu quadro de futebol não representaria a Brigada Militar. Além disso seria pouco significativo para o Farrapos que esta sociedade participasse do departamento menos da Federação Rio-grandense de Futebol; por outro lado nossas possibilidades não nos permitem concorrer com os clubes da divisão principal da mesma entidade. Todos os presentes concordaram com este ponto de vista”... Esta ata foi lavrada pelo 1° secretário, Capitão Olegário Diogo Duarte.

 

Na ata de n° 2, de 18 de maio de 44, há referências do ofício de n° 146, do Comandante do R.B.G. , autorizando a sociedade a cobrar mensalidades dos oficiais do regimento, por intermédio do S.F. e pedindo uma relação dos sócios do clube que prestavam serviços na unidade, o mesmo acontecendo com outras várias unidades. No documento “ o senhor Presidente declarou que a situação do Clube Farrapos era bem original, estando esta sociedade numa espécie de círculo vicioso, pois não tendo sede não poderá promover reuniões sociais e culturais, tão necessárias para aumentar a renda, pelo maior número de sócios que ocorrerá às suas fileiras: por outro lado, sem renda não poderá alugar uma sede. Para resolver esse impasse propunha que a diretoria fosse, incorporada, à presença do Comandante Geral, afim de solicitar um auxílio pecuniário, mensal permanente, e uma importância parar cobrir as despesas”...

 

Nesta mesma data, foram empossados: Capitão Ernani Ferraz Machado no cargo de diretor de desportos; o Capitão Jacinto Francisco Targa , para diretor social e o Cap Brigadeiro Luiz Castro para 2° secretário.

 

EX-PRESIDENTES DO CLUBE FARRAPOS

 

    • Cel Elehú Mário Gomes (1944/1945)
    • Cel Walter Perachi de Barcellos (1945/1950)
    • Cel Milton Gomes da Silva (1950/1952)
    • Cel Cícero Krás Borges (1952/1954)
    • Cel João Lúcio Marques (1954/1959)
    • Cel Octacílio Rodrigues da Silva (1959/1962)
    • Cel Solon Palanda Franco ( 1962/1964)
    • Cel Floriano Peixoto Sobral (1964/1966)
    • Cel José Lannes Velasques (1966/1968)
    • Cel Danilo Machado de Barros (1968/1971)
    • Cel Geraldo Coimbra Borges (1971/1975)
    • Cel Esmeraldo Fonseca Filho (1975/1977)
    • Cel Levinton Luiz Braga (1977/1978)
    • Cel Jorge Auri Campos da Silva (1978/1979)
    • Cel Enio Teixeira Coelho (1979/1981)
    • Cel Lauro Prestes Neto (1981/1983)
    • Cel Alfeu Rodrigues Moreira (1983/1987)
    • Cel Celso Souza Soares (1987/1989)
    • Cel Osvaldo Vaz Ferreira (1989/1991)
    • Ten Cel Nelson da Fontoura Ligório (1991/1993)
    • Cel Jair Portela dos Santos (1993/1994)
    • Ten Cel Carlos Vieira Nogueira (1995/2000)
    • Ten Cel Cláudio Paiva (2000/2009)
    • Ten Cel Ronaldo Nunes Prates (2009/2013)
    • Cel Estanislau Waldyr Wasenkeski (2013/2014)

 

ATUAL DIRETORIA EXECUTIVA TRIÊNIO 2015/2017

 

PRESIDENTE Cel José Roberto Rodrigues
VICE-PRESIDENTE ADMINISTRATIVO, FINANCEIRO E RECURSOS HUMANOS Cel Altair de Freitas Cunha
VICE-PRESIDENTE SOCIAL E CULTURAL Ten Cel Guacir de Llano Bueno
DIRETORA SOCIAL Dra. Jussinara Narvaz
DIRETOR SOCIAL Cel Jarbas Rogério Carvalho Vanin
DIRETOR CULTURAL Cel Ubirajara Anchieta Rodrigues
DIRETOR DE ESPORTES Cel Luiz Henrique Oliveira de Oliveira
DIRETOR DE PATRIMÔNIO E OBRAS Cel Celso Pires Porto
DIRETOR DE PLANEJAMENTO E MARKETING Cel Marco Antônio Mouras dos Santos

 CONSELHO FISCAL TRIÊNIO 2015/2017

Cel Renê Lacerda
Cel Jorge Luiz Prestes Braga
Ten Cel Flávio da Silva Lopes
Cap Evandro Egídio Zambonato
Maj Tito Lívio Coelho

SUPLENTES

Cel Anilton Castro Ferreira
Ten Cel Amilcar Cassales Barros
Cel Alberto Rosa Rodrigues
Cel Luiz Ubirajara Betat de Souza
Ten Cel Paulo Benhur Oliveira da Costa

 CONSELHO DELIBERATIVO QUADRIÊNIO 2013/2017

Cel Arlindo Bonete Pereira (Presidente)
Ten Cel Toni Robilar Pacheco
Cel João Baptista da Rosa Filho
Cel Nelson Pafiadache da Rocha
Ten Cel João Luiz Soares
Maj Gabriel Pinto Ribeiro
Cel Estanislau Waldir Wasenkeski

SUPLENTES

Ten Cel Edison Estivalete Bilhalva
Cel Dirnei Vieira de Vieira

 

Voltar para a página inicial